EXPOSIÇÃO DE PINTURA “APONTAMENTOS DE UMA DÉCADA” DE LUÍS MOTA

cartaz.jpg

SINOPSE

A exposição “Apontamentos de uma década” apresenta trabalhos integrados no objetivo pessoal de exploração plástica contínua. O conjunto em exposição responde a um convite municipal, que se agradece, porque ele é relevante pela oportunidade de partilha que suscita. As obras expostas poderão ser compreendidas como produções decorrentes do contexto de vida que as animam. Estruturam-se segundo uma linha de participação social do seu autor e integram-se no fio condutor da sua intervenção artística, que parte das vivências cívicas, profissionais e criativas. A elaboração de apontamentos que se ligam à sua ideia da “viagem das formas” faz parte da sua materialização plástica em linhas, cores, volumes e figuras. Esta viagem de artes plásticas, iniciada em 1977, tem agora uma nova paragem numa mostra pública no Entroncamento. A organização desta exposição contou com a colaboração da Inês Melo, e da Cecília Baptista, na escolha e seleção das obras, e com o contributo do Gonçalo de Figueiredo, e do Tiago Braga na fotografia (Laboratório de Fotografia do Instituto Politécnico de Tomar).

BIOGRAFIA

Luís Mota

 Nascido em Riachos em 1956, expõe desde 1977. Com percurso profissional iniciado em 1973 nos caminhos-de-ferro, na CP, no Entroncamento e terminado em Campolide (tendo desempenhado funções de Operário Estagiário, de Desenhador, de Técnico Auxiliar e de Contramestre) redirecionou a sua carreira profissional para o ensino, a partir de 1988, lecionando no Instituto de Artes e Ofícios e na Escola Superior de Artes Decorativas, em Lisboa. Com curso da Escola de Artes Decorativas António Arroio, licenciou-se e concluiu mestrado em História da Arte na Universidade de Lisboa e obteve o doutoramento também em História da Arte, pela Universidade de Coimbra. Possui estágio de pós-doutoramento em Turismo pela Universidade de Aveiro. É Diretor Técnico do Museu Agrícola de Riachos e Casa Memorial Humberto Delgado, de Brogueira-Torres Novas. O desenho e a pintura, a história da arte, as artes decorativas, a museografia e a conservação do património cultural fazem parte do trabalho desenvolvido na Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva onde ensinou Desenho de Ornato, Tecnologias Aplicadas, Peritagem em Arte entre outras matérias. O ensino como Professor Coordenador do Instituto Politécnico de Tomar, nos domínios do património e do turismo cultural associam-se a este percurso. Nas exposições em que participa apresenta trabalhos que considera como produções decorrentes do contexto das suas diversas atividades enquanto cidadão, profissional e agente criativo.

 

 

Anúncios