Arquivo da categoria: Exposições

Exposições

EXPOSIÇÃO DE PINTURA “APONTAMENTOS DE UMA DÉCADA” DE LUÍS MOTA

cartaz.jpg

SINOPSE

A exposição “Apontamentos de uma década” apresenta trabalhos integrados no objetivo pessoal de exploração plástica contínua. O conjunto em exposição responde a um convite municipal, que se agradece, porque ele é relevante pela oportunidade de partilha que suscita. As obras expostas poderão ser compreendidas como produções decorrentes do contexto de vida que as animam. Estruturam-se segundo uma linha de participação social do seu autor e integram-se no fio condutor da sua intervenção artística, que parte das vivências cívicas, profissionais e criativas. A elaboração de apontamentos que se ligam à sua ideia da “viagem das formas” faz parte da sua materialização plástica em linhas, cores, volumes e figuras. Esta viagem de artes plásticas, iniciada em 1977, tem agora uma nova paragem numa mostra pública no Entroncamento. A organização desta exposição contou com a colaboração da Inês Melo, e da Cecília Baptista, na escolha e seleção das obras, e com o contributo do Gonçalo de Figueiredo, e do Tiago Braga na fotografia (Laboratório de Fotografia do Instituto Politécnico de Tomar).

BIOGRAFIA

Luís Mota

 Nascido em Riachos em 1956, expõe desde 1977. Com percurso profissional iniciado em 1973 nos caminhos-de-ferro, na CP, no Entroncamento e terminado em Campolide (tendo desempenhado funções de Operário Estagiário, de Desenhador, de Técnico Auxiliar e de Contramestre) redirecionou a sua carreira profissional para o ensino, a partir de 1988, lecionando no Instituto de Artes e Ofícios e na Escola Superior de Artes Decorativas, em Lisboa. Com curso da Escola de Artes Decorativas António Arroio, licenciou-se e concluiu mestrado em História da Arte na Universidade de Lisboa e obteve o doutoramento também em História da Arte, pela Universidade de Coimbra. Possui estágio de pós-doutoramento em Turismo pela Universidade de Aveiro. É Diretor Técnico do Museu Agrícola de Riachos e Casa Memorial Humberto Delgado, de Brogueira-Torres Novas. O desenho e a pintura, a história da arte, as artes decorativas, a museografia e a conservação do património cultural fazem parte do trabalho desenvolvido na Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva onde ensinou Desenho de Ornato, Tecnologias Aplicadas, Peritagem em Arte entre outras matérias. O ensino como Professor Coordenador do Instituto Politécnico de Tomar, nos domínios do património e do turismo cultural associam-se a este percurso. Nas exposições em que participa apresenta trabalhos que considera como produções decorrentes do contexto das suas diversas atividades enquanto cidadão, profissional e agente criativo.

 

 

Anúncios

EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA “A MÁQUINA DO MUNDO” DE ANA RITA E AMIGOS

Sinopse

Das tantas palavras que uma imagem denuncia, eis porque o desenho do olhar impresso, outrora riscado e decalcado, pode em si contar uma história. Imaginemos várias imagens e suas histórias a acontecerem; como na carruagem do comboio, de estação em estação, a viagem acontece de um ponto ao outro, de partida e de chegada. Depois, qual tecelão que passando o fio faz novo caminho, eis que percebe do achamento e resolve seu pano pronto.

“Máquina do Mundo” é a fotografia apalavrada de Ana Rita que convida os Amigos para juntos contarem da memória coletiva. Foi resgatada e, do impacto do território na viajante e seu processo transformador, nasce a narrativa: desde a nascente – do vulcão, na Ilha do Fogo/Mosteiros e do comboio, no Entroncamento – até ao vislumbre do advir.

Gosta da expressão do filme “Avatar” – “Eu vejo-te” – e é assim que cumprimenta todos aqueles que aqui recebe.

BIOGRAFIA

Rita Mendes Pereira, licenciada em Ciências da Educação, pela Universidade de Coimbra, Pedagoga, Animadora Sociocultural, ora Curadora, nos Serviços Culturais da Câmara Municipal do Entroncamento desde 1991, tem exercido ao longo do tempo funções de gestão e programação, criação e curadoria. No campo da Educação desenvolveu projetos de motivação e promoção da leitura e cidadania executando oficinas e formações com os agrupamentos de escolas da Cidade do Entroncamento e da região de Santarém, elaborando projetos, como o “Poeta de cor” que foi selecionado no Manual de Boas Práticas da Anaced(Ajuda), contou entre outros, com 1ºs Prémios de Contadores de Histórias em Constância e de Fotografia no âmbito da disciplina de Filosofia, na Escola Secundária do Entroncamento. Foi colaboradora em jornais e revistas e fez um Curso (MOOC) de Escrita Criativa, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Membro da direção de algumas associações de âmbito educativo, juvenil, social e cultural do Concelho do Entroncamento. Neste momento, integra projetos de ação sobre a temática da Economia Solidária, tendo em vista o desenvolvimento bioecológico. Insiste em testemunhar as suas vivências e gosta das palavras “ponte” e “estafeta” e “trabalho”.

ana rita sobre ana rita

Sob “!(…) esta perceção de sempre incompleta plenitude (…)”no vínculo à vida, eis-me pronta a participar, fortalecida, na razão, na reflexão, na intenção, na decisão, na ação e no poder ser alguém que, no que faço, possa trazer conforto, alegria e motivação positiva ao outro, de modo a formar e transformar as pessoas e a mim própria nos lugares e nos tempos por onde aconteço.

EXPOSIÇÃO DE PINTURA “MEMÓRIA DO SAGRADO” DE GRACIETE ROSA ROSA

” Os trabalhos de Graciete Rosa Rosa, desta exposição colocam — nos perante duas situações: um diálogo e um confronto. Diálogo entre o sagrado e o profano; confronto entre o salto, o voo e a queda. É a eterna e sempre renovada presença da interrogação que se depara na filosofia, na literatura e na arte do mito de Ícaro que, para atingir o Sol, se precipita nas alturas.
A figuração destes símbolos e alegorias, inserida na história da Humanidade e desde as suas remotas origens, ganha sentido e amplitude no ato da criação
As suas representações na pintura em acrílico permitem teatralizações, a visão íntima, o apelo á luz, em torno do azul da anunciação, a inquietação na ascensão e a contemplação do espaço sideral.
Viagem ao paraíso e descida ao inferno, Graciete Rosa Rosa recria formas inesperadas que definem e transfiguram o corpo e paisagens oníricas que conduzem ao dinamismo primordial da formação do Cosmos.”
António Valdemar

 

EXPOSIÇÃO COLETIVA DOS ALUNOS DO 11º ANO DO CURSO DE ARTES VISUAIS DA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENTRONCAMENTO

FOTO

Entre os próximos dias 1 e 8 de junho, das 15h às 19h, a Galeria Municipal, vai acolher uma exposição coletiva dos alunos do 11º ano do Curso de Artes Visuais da Escola Secundária com 3º Ciclo do Entroncamento.

Inaugurada dia 1, sexta-feira, pelas 17h30, esta exposição resulta do convite da escola à Câmara Municipal do Entroncamento para, mais uma vez, divulgar junto da comunidade local o trabalho desenvolvido pelos alunos da área de Artes Visuais. O objetivo é representar o trabalho desenvolvido ao longo do presente ano letivo, na disciplina de Desenho A, com análise de unidades de trabalho como, o “Estudo da Figura Humana”, “Gradientes, “Desenhos de perspetiva” e “Levantamento de um Painel Cerâmico”.

Todas as obras expostas foram precedidas por uma abordagem teórica que proporcionou o conhecimento necessário para uma fase, primeiro, de investigação e análise, e depois, de síntese e arte final. As composições visuais apresentadas refletem a resposta a um problema enunciado através do ato criativo e revelam a capacidade de adequação e evolução perante novos materiais e novas técnicas de expressão e representação.

A exposição terá obras da autoria de 10 dos alunos da disciplina de Desenho A, do curso de Artes Visuais, dirigida pelo Professor Álvaro Santos, também coordenador da atividade.

A exposição tem entrada livre e conta com todo o apoio da Câmara Municipal do Entroncamento.

EXPOSIÇÃO DE PINTURA GENESIS 4.18 “WORLD MIRROR” DE SANSÃO VITORINO

foto cartaz_Sansão Vitorino

O Município do Entroncamento apresenta na Galeria Municipal, entre os dias 31 de março e 12 de abril, a exposição de pintura Genesis 4.18 “World Mirror”, do pintor Sansão Vitorino.

O artista define-se como autodidata, observador das imagens oferecidas pela natureza que o rodeia e imaginativo quanto àquelas imagens naturais que não vê, como nos afirma “…porque imaginamos que em algum ponto, em algum Mundo, no nosso Universo ou mesmo paralelo, imagens que estarão a espelhar alguns dos ambientes mais imaginativos conhecidos na nossa própria natureza.”

“World Mirror” apresenta segundo o artista“…vários trabalhos em que mostro com óleo sobre tela as fotos que nascem e se criam dentro da própria mente.”

Sansão Vitorino já realizou várias exposições individuais, nomeadamente na Galeria Municipal, onde regressa, desta feita com novos trabalhos.

Esta exposição é dirigida ao público em geral, é de entrada livre e estará patente de terça-feira a domingo entre as 15h00 e as 19h00.